quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Amor e Liberdade.

Comumente ouvimos falar sobre as escolhas que devemos fazer em nossas vidas e uma delas é o amor em contra partida da liberdade. Cedo aprendemos que elas não se casam, são incompátivies e antagônicas, mas também de suma importância em nossa existência. Como amar e sermos livres a o mesmo tempo, se nosso amor parece ser regado de promessas que posteriormente transformam-se em obrigações intermináveis reforçados a cada gesto e olhar sob a supervisão das expectativas criadas, cobradas, exigidas e algumas vezes não correspondidas, embora negamos isto? E a liberdade que nos põe descompromissados de eventuais promessas? Afinal ser livre e respeitar as diferenças de nossas idéias, verdades, sentimentos, opiniões; É caminhar em outras direções, procurar caminhos que melhor nos convir, mudar, hoje amar mais, amanhã menos, renovar-se. Amar é essencial em nossa vida e a liberdade imprescindivel pois é nosso espirito. Oque seria do amor sem liberdade e a liberdade sem um amor?
Osho diz: =>"ser amado e amar é praticamente um respirar espiritual. O corpo não pode viver sem a respiração, e o espirito não pode viver sem o amor."
Desta maneira, vivemos movimentando-nos nas duas direções, ora desejando amar e sermos amados, ora em busca de nossa liberdade pessoal. Vivemos nos arrastando de um lado para o outro, capengas, pois não conseguimos administrar intensamente estas duas palavrinhas com suas alternativas contraditórias e que nos mostra contrapontos.
Osho diz também: =>"A liberdade vem quando você atinge uma síntese entre o amor e a liberdade. Escolha o paradoxo, não escolha as alternativas que o paradoxo lhe deu. Escolha todo o paradoxo. Não escolha um, escolha ambos, escolha-os juntos. Entre no amor e permaneça livre, mas nunca torne sua liberdade contrária ao amor."


segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Casados, cinqüenta anos depois:

Li este miniconto de Ana Mello em seu blog e achei da maior delicadeza e sensibilidade. Não pude deixar de copia-lo e colocar em meu blog:

"Com o passar dos anos meus beijos foram ficando diferentes. Suaves demais, rápidos, superficiais.
Segurando sua mão só pensava nisso, quando ela abriu os olhos e perguntou:
- Eu morri?"

domingo, 19 de outubro de 2008


Semana passada sonhei com o mar, caminhava por cima das ondas, como aquela famosa cena em que Jesus Cristo milagrosamente flutua sobre as aguas deixando seus seguidores boquiabertos com o milagre. No meu sonho não haviam discipulos ou outras testemunhas para se espantarem, apenas eu, somente eu. Neste fim de semana, visitei o mar e enquanto caminhava pela beira da praia adimirando sua grandeza, lembrei-me novamente do sonho. Fiquei imaginando o quanto podemos ser diferentes do sonho para a realidade. 

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Quando nos tornamos mais livres ficamos também mais leves e verdadadeiros, algumas vezes, comprometemos a nossa sanidade mental diante das pessoas que antes nos julgavam normais!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

I Love You Porgy

Olhando daqui de cima, tudo parece tão plano e limpo, lavado pela chuva fina e persistente que bate no corredor por onde passam carros, na vidraça da janela. A chuva renova energias. A noite tem a cor eo movimento esperado nesta vida que não descança e que as vezes se imita.
Ouço sons absurdamente confusos, misturados aos meus, até que me venha o sono e durma acariciado por I Love You Porgy na voz rouca e negra de Nina Simone.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Coisas do tempo...

Depois do dia escaldante de trinta e poucos graus de ontem, Porto Alegre acordou com cara diferente, parecendo revelar uma quinta estação desconhecida. Calor ainda, mas com uma brisa refrescante e umida acariciando o rosto das pessoas nas ruas, nas praças e jardins. Sol escondido por traz de nuvens brancas e esticadas, grama úmida e colorido cinza de fita de cinema mudo, irreal, verdadeiro apenas na imaginação. Possivel de viver sómente em sonho.

sábado, 11 de outubro de 2008

Cabo Horn

Ontem à noite fui convidado por colegas de trabalho, à conhecer a danceteria Cabo Horn, situada na rua Republica 649, Cidade Baixa. O nome faz referencia ao Cabo que divide o oceano Atlântico e Pacífico, sul da Patagônia e Terra do Fogo. O estabelecimento é um casarão de dois pisos e faixada na cor verde escuro, com mesas na rua, ideal para reunir grupo de amigos.
No primeiro andar, há um espaço com bar e palco onde se apresentam artistas locais. No segundo andar, espaço para dança com musica eletrônica e mais um bar independente, som dos anos 70, 80 e 90. Rock'n roll, Pop nacional e interacional, MPB. No cardápio da casa, bolinhos de aipim com carne seca, quibe, empadas (que não experimentei) e um delicioso pastelzinho assado no forno, com catupiri. Administrado pelos irmãos gêmeos César e Paulo Audi do antigo Dr. Jekill, a danceteria faz sucesso não só pela sua animação e localização, mas também pela simpatia de seus donos e freqüentadores.


quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Dia 09 de Outubro, filhos, netos, bisnetos e amigos ganharam um belo presente, um presente de valor inestimável, que foi festejado com alegria e emoção. Borba completou 72 anos de vida de lutas, perseverança, e força interior. Todos os anos no dia de seu aniversario sabemos intimamente que não festejamos somente mais uma data de seu aniversario mas que somos abençoados pela sua companhia impar e sua alegria de viver.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Morro da Embratel

No domingo, dia de eleição para prefeito eu e minha namorada subimos de carro o morro da Embratel. Você já foi até lá? É fantástico! O morro é uma especie de braço estreito, formando uma estrada de chão onde se pode ver nas duas direções a cidade de Porto Alegre. Tem-se lá de cima a magnifica visão da grandeza e beleza da capital exibindo vales, penhascos alguns recantos e bairros como Glória, Centro, Santana, Pártenon e outros. Lugares como este te faz sentir um pequeno grão de areia na imensa obra criada por Deus.. Te leva a questionamentos sobre a vida alem da tua. Minha namorada disse-me que este lugar te chama para a razão, uma vez que também pode-se observar as diferenças sociais entre um bairro e outro, do enorme arranha céu à favela desprotegida da infra estrutura metropolitana planejada, limpa.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Hoje particularmente o convivio com minha familia me fez bem, penso que precisava disto por estes dias. Vespera de aniversario, preparativos, alegria, todos falando a o mesmo tempo, algumas piadas boas e outras sem graça, cerveja gelada, arroz com linguiça preparado de ultima hora, mais cerveja gelada e a festa só começa amanhã!..

Pela janela do meu quarto, entra a claridade do Sol e posso ouvir nitidamente o canto de pássaros como uma sinfonia mistica. É possível identifica-los pela variedade de sons que produzem. As arvores estão frondosas e este aroma peculiar de flores chega até aqui trazido por uma brisa, que somente a Primavera pode presentear. Impossível deixar de perceber estes milagres que nos rodeiam todos os dias de nossas vidas, sem a devida atenção e reconhecimento. Inestimável tesouro dado pela vida. A chave que abre o portal para este mundo é a sensibilidade e está guardada dentro de nós. É somente abri-lo!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Eu, vinho e Milles Davis

Algumas vezes faço-me a delicadeza de convidar-me a usufruir da companhia de mim mesmo, abro uma garrafa de vinho e sorvo-a sem presa enquanto ouço Milles Davis no aparelho de som. Nestas horas de intimiade somos suficientes, eu, minhas viagens pessoais, o vinho e o som de Milles.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Transição necessaria.

Devo apenas lamentar a estranheza das pessoas diante das mudanças que sofri nos últimos meses, pois acredito ter sido para melhor. Buscava outras coisas que acreditava ser verdadeiras antes da surpresa de estar errado. Acertos nos deixam seguros e orgulhosos, mas erros, estes nos tornam mais fortes e esperançosos, nos instiga á buscar o que talvez sejam valiosos a o nosso crescimento interior. Hoje não tenho tempo para ensaios, divagações e espectativas infundadas, descubro que é na simplicidade que encontramos respostas à complexidade das estruturas que nós mesmos criamos e nos perdemos. Preciso ir atrás do que é urgente em minha vida, em busca daquilo que pensava não mais existir em mim, mas descobri estar apenas adormecido. Perdi-me em atalhos que eu mesmo criei para chegar mais rápido a o nada, a constatação de incertezas que se repetiram ano após ano e levaram-me a o silencio da dúvida que massacra, que estanca. Preciso viver meu próprio conceito de liberdade, de felicidade.
O que posso oferecer agora, neste momento, é somente um pedaço de chocolate do tipo meio amargo que estou mordendo e que derrete entre meus dedos, transformando-se numa espessa pasta negra e adocicada, maravilhosa de ser lambida com vontade.
Nesta ultima semana, tenho trabalhado muito e dormido pouco. A verdade é que quando tenho a oportunidade de ficar até mais tarde na cama, não consigo, levanto-me agitado e com dor no corpo. Brinco às vezes, por não saber se é culpa da idade, do stresse do trabalho ou as molas do colchão vencido. Durante à noite me debato com pesadelos e sonhos que chamaria de estranhos e sem explicações. Também me pergunto por que buscamos explicações para os sonhos?
Já não temos com o que nos preocupar em nossas vidas?

Por mais que já tenha lido informações cientificas sobre eles (sonhos), termino cedendo as explanações misticas que os ditos populares inventam, fazendo-me ficar em alerta e temeroso com o que possa vir.

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...