segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

guayabera

Eu não gostei das guayaberas que experimentei nas lojas que visitei em Cuba, acho que foi o excesso de bolsos ou o tipo de tecido mesmo. Deve ter sido isto. Não me chamaram a atenção. Guayabera é uma camiseta larga e fresca, com quatro grandes bolsos e pregas na frente. Ela costuma ser feita de algodão ou linho e usada para fora da calça.
Além de ser uma roupa usada por quase todo mundo em Cuba, a guayabera ainda tem um valor histórico: ela era símbolo de resistência dos cubanos que combatiam os espanhóis pela independência do país. Existem diversas histórias sobre a origem das guayaberas. A história mais popular conta que a primeira guayabera foi feita por uma costureira espanhola para um rico fazendeiro cubano, que vivia na região do rio Yayabo, há mais de 200 anos. Os outros fazendeiros gostaram da ideia de uma camisa com quatro bolsos porque assim era possível carregar mais guayabas (goiabas), que eram plantadas em abundância na região, e passaram a copiar o estilo. A origem do nome guayabera pode ter vindo de sua ligação com as goiabas ou da expressão ‘yayabera’, usada para distinguir aqueles que viviam na região de Yayabo. O Caribe e o México também disputam a origem da camisa.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Por que estou indo para Cuba.

Amanhã estarei oficialmente de féeeeerias e meu destino será Cuba. Falta pouco menos de dois dias para isto e eu não sei responder para as pessoas que me perguntam, por que estou indo pra lá alem de dar justificativas simples e prontas como: É para conhecer a ilha e a cultura de seus habitantes... Que resposta mais babaca!.. É que eu também fico inseguro com oque vou encontrar por lá. Ora, existem muitas outras razões introjetadas em minhas expectativas quanto a esta ilha socialista, que se mantem de pé e ainda de portas fechadas a cultura e aos mecanismos provocados pelo capitalismo mundial que bem conhecemos seus prós e contras.


Cuba me parece um contra ponto a tudo isto, uma realidade à parte, uma sobrevivente, que preciso testemunhar com meus próprios olhos, tato, olfato e audição, seu espirito de luta e de sobrevivência, seus extremos e paradoxos possivelmente visíveis no dia a dia e hábito de seu povo. Muitas pessoas me perguntam com surpresa a razão de eu ter escolhido este destino para visitar e eu lhes respondo como segunda opção, de que talvez seja para aprender a dançar salsa e experimentar umas doses de Rum, Daiquiiri e Mojito. Este é também é um bom motivo. Até a volta!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Adeus W. Houston

Eu fico pensando que quando as pessoas perdem o controle sobre si, devido ao abuso de álcool, drogas, ou qualquer outra porcaria, deveriam ser interditadas e levadas para uma instituição de ajuda mesmo contra a vontade, por amigos, parentes, a sociedade, o governo, sei lá, para que não lhes aconteça o pior, mesmo ferindo a sua liberdade individual e de decisão sobre si mesmas, levando-se em conta que nestas condições não possuem poder de decisão sobre o que é melhor para si. 
Mas também sei que não é desta forma que as coisas realmente acontecem, pois em respeito a esta liberdade pessoal e a complexidade dos procedimentos legais, todo mundo fecham suas portas, seus olhos e ignoram o que está acontecendo, simplesmente  para não se comproterem e aguardam o desfecho final esperado...E eu já estou dizendo bobagens, por que sei que não é desta forma que as coisas funcionam no âmbito da lei e  também incide sobre os riscos de invasões pessoais sujeitas a muitas incomodações. Mas é muito triste saber que uma pessoa está se terminando sem que se possa fazer nada, absolutamente nada...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Telefona antes!

Que pena, quem mandou vires me visitar sem antes ter me avisado da intenção. Faltam tantas coisas nesta cidade, menos telefone, por que não ligastes?
Algumas atitudes precipitadas provocam erros como não telefonar; contigo o resultado foi ter batido com o nariz na porta. Eu particularmente me sinto desconfortável quando isso acontece por não ter sido avisado. Não gosto da sensação de ser surpreendido. Tá na hora de aprender!..

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Passo do Inferno

Lugares fantásticos como este, somente aqui no Rio Grande do Sul. Esta é a Ponte de ferro que quero conhecer de perto quando retornar das férias. Construída em 1935, com um vão de 74 metros e sem pilares, está localizada entre as Cidades de Canela e São Francisco de Paula, na serra gaucha.  
A expressão "Passo" é muito utilizada aqui na região sul e tem relação direta com a rota de passagem dos tropeiros que seguiam do Rio Grande do Sul até o Sudeste do país. "Inferno" pela dificuldade encontrada a o cruzar esta rota em particular, cheia de pedras penhascos e rios turbulentos.

A vida íntima de Pippa Lee.

O filme que assisti ontem mostrou-me que muitas vezes o que vivemos não é exatamente aquilo que somos, mas apenas uma caricatura hipócrita que inventamos para sobrevivermos aos nossos medos e sermos aceitos, amados.
Pippa Lee acreditava ter a vida perfeita até que seu mundo começa a desmoronar entre afazeres domésticos, cuidados com os filhos e o marido doente e trinta anos mais velho que ela. Após uma existência agitada, ela se muda com o marido para um tranquilo condomínio e, por entre o zumbido de cortadores de grama e afazeres domésticos, Pippa se pergunta como chegou àquela situação.
A resposta é uma história de juventude rebelde, encontros inesperados, casos, traições, e a perigosa segurança do casamento. Um romance brilhante que captura os desafios da vida moderna – e todas as suas possibilidades.

Dane-se o conforto em favor do lucro.

Eu devo ter comentado em algum outro post aqui no Diário de Bordo, que do lado da minha casa existe um pensionato ou albergue para jovens estudantes, possivelmente para favorecer estudantes da PUC, que fica aqui perto e como moro no ultimo andar do edifício, da minha janela enxergo tudo que se passa na área pertinente a o local e que desde o inicio de janeiro o proprietário resolveu fazer obras que à principio parecia somente uma reforma na casa principal, mas depois percebi pelas demarcações no terreno que seriam construídas mais quatro casas de madeira pré- fabricadas que estão sendo erguidas de vento em popa. Estive observando, que as casa são tão coladas umas nas outras, que possivelmente devem ferir qualquer norma de construção civil liberada pela prefeitura. 
Possivelmente no verão, as casas serão um verdadeiro forno de microondas para quem habita-las, pelo simples fato do telhado ser de fibra amianto e de não haver espaço entre elas para circulação de ar; o que se conclui é que o proprietário está interessado somente em lucros, o bem estar dos inquilinos que se dane.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Flor do Deserto

Liya Kebede à esquerda e Waris Dirie à direita da foto.

Não quero falar tecnicamente sobre o filme "Flor do Deserto" que assisti semana passada, por que esta não é minha praia, mas posso dizer que é uma emocionante autobiografia da modelo Waris Dirie, que se tornou uma das modelos mais conhecidas do mundo fashion e após embaixadora da ONU no combate à mutilação genital feminina ao declarar para a revista americana Marie Claire, que foi mutilada aos três anos de idade por sua mãe, depois vendida para um casamento arranjado e muitos outros sofrimentos a que é possível na vida de um ser humano como resultado de uma infancia de extrema pobreza, fome e analfabetismo. É quase impossível não ficar chocado com a cena de mutilação ea reação da jornalista da revista ao ouvir a historia contada por Waris, mostrada no filme.
A Mutilação Genital Feminina é um costume cultural realizado em vários países da África e da Ásia, que causa danos físicos e psicológicos irreversíveis e ainda é responsável por inúmeras mortes de meninas nesta idade. A pratica é extremamente selvagem e dolorosa e pode envolver a remoção do clitóris e até mesmo dos lábios vaginais com instrumentos de corte inapropriados como (faca, caco de vidro ou navalha) não esterilizados e raramente com anestesia. Há uma outra forma de mutilação genital, que consiste na costura dos lábios vaginais ou do clitóris muitas vezes transfixados por espinhos como mostra no filme. 
Esta selvageria é enquadrado como uma forma de "abuso grave de criança e de lesão corporal qualificada". Vários organismos internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), têm envidado esforços para desencorajar a prática da mutilação genital feminina. A Convenção sobre os Direitos da Criança, assinada em 1990, considera-a um ato de tortura e abuso sexual, violando o direito de toda jovem de desenvolver-se psicossexualmente de um modo saudável e normal. No filme Waris Dirie é interpretada pela atriz e também modelo africana Liya Kebede de muita beleza e semelhança física, que por sua vez lembra também incrivelmente a atriz brasileira Isabel Filardis.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

De que galaxia pensam que saiu Madona?

Nos últimos dois dias, quando se abre uma pagina de revista, internet ou pressiona-se o botão da TV, não se vê falar noutra coisa que não seja do irmão pobre de Madona e que se afastou de toda a família para  morar debaixo de uma ponte. Meu Deus, quem de nós seres humanos mortais nesta face da terra já não teve problemas com um irmão, uma imã, um primo, um tio ou seja lá o que for, menos favorecido e que ainda por coincidência fala mal da gente e da família, se sentindo excluído, mal compreendido, abandonado etc. etc.. e que rompimentos desta natureza não passa de mal entendidos ou teimosia de uma das partes. Desde cedo eu aprendi que problemas domésticos e familiares só trocam de endereço. Por que com Madona seria diferente? Pop Stars estariam imunes a estes problemas? De que galaxia as pessoas pensam que saiu esta mulher?
Irmão de Madona.

Luíza já voltou do Canadá?

Hoje meu colega falando qualquer coisa à respeito de seu filho, concluiu a frase com algo do tipo: _Aquele que trabalha na banda (tal)... e então nos olhamos de canto de olho e caímos na gargalhada,  evidentemente nos lembramos do comercial de vendas de apartamentos de luxo cujo comentário sem sentido, deixou uma tal de Luíza que viajou para o Canadá conhecida por semanas na Internet e provocando risos e piadas entre os internautas. 
Algumas pessoas tem por mal hábito tecer comentários fora de contexto com o objetivo de promover aquilo que acham importante, mas não percebem o quanto isto pode ser absolutamente desnecessário, constrangedor e mal educado.
Como concluiu meu colega ao final da conversa; Tem coisas que não acrescentam nada e ninguém diz: _Aquele meu filho que é um vagabundo e não sabe o que quer da vida! Ou ainda: _Aquela sobrinha que viajou para exterior se deu mal e acabou se prostituindo! 
Um comentário desses não valoriza o ego, por isso ninguém comenta!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Isto eu não aguento!

Eu não aguento mulher controladora, essas que ficam no controle à distancia e a todo o momento ficam ligando pro celular do (marido, namorado, ficante..) perguntando: O que tu tá fazendo?.. A onde tu está?.. Já chegou?.. Já saiu?.. O que ele te disse?.. Já está perto?.. Longe?.. Bem perto ou mais ou menos perto?.. Putiz que eu fico P da vida com isso!..
Hoje um amigo estava aqui em casa para que eu pudesse prestar-lhe um favor e de repente o celular dele começou a tocar, era a sua mulher que ficava questionando como estava seguindo a nossa conversa, se ele já tinha uma posição, se já estava tudo resolvido, se ia demorar muito ainda. A mulher deve ter ligado umas quatro vezes para fazer perguntas e a vontade que eu tinha era de tomar o telefone da mão do cara que falava mansamente e manda-la para aquele lugar!
Eu me perguntava: Se ela queria estar ciente do que estávamos tratando, por que não estava ali do lado dele? Quando terminou nossa conversa e fui leva-lo ate o carro, ela ainda ligou mais uma vez. Eu fico passado com essas pegações de pé que me parecem uma mistura de insegurança, muita curiosidade e falta do que fazer.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Uma maldição.

Atendi uma senhora diabética que solicitou socorro por estar hiperglicêmica (quando a glicose está alta) e esta mesma senhora que eu nunca havia atendido antes, dividia o quarto com sua unica filha também acamada por um câncer de reto nunca tratado. Me chamou a atenção que a moça era também portadora de lábio leporino, (aquele corte ou fissura que acometem algumas crianças ao nascerem) e isto a deixava fanha quando falava ou chorava em demostração de preocupação com estado em que sua mãe se encontrava. Meu colega que conhece a historia desta família, contou-me mais tarde que a doença no lábio da moça se tratava de uma maldição rogada a sua mãe quando esta ainda era jovem e bonita e frequentava alguns bailes que aconteciam no bairro. 
Disse ele, que certa vez apareceu num desses bailes, um jovem que se encantou por sua beleza e insistentemente tentava tira-la para dançar, o que ela se negava pelo fato do jovem ter um defeito no lábio superior. Numa noite, cansado de sempre ser rejeitado pelo motivo que já desconfiava, perguntou indignado: _É por causa da minha boca que não aceitas dançar comigo, não é? Envergonhada a moça virou-lhe o rosto e então ele concluiu: _Um dia, haverás de ter um filho com o mesmo defeito que eu, então saberás o que é sofrimento! Deu-lhe as costas e nunca mais foi visto nos bailes seguintes.
Eu fiquei pensando que uma maldição dessas, mais do que causar preocupação e medo nas pessoas, deveria servir de lição para que algumas diferenças sejam pelo menos respeitadas. Alias, maldições são exercícios forçados de misticismo para que se evite exclusões nem sempre vistas desta forma.

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...